Tecnologia e policiamento contra roubo de carros

By Edu, 26 de julho de 2011

Duas notícias me chamaram a atenção nesta semana. Por um lado o estado de São Paulo registrou um acréscimo de 9.77% no roubo de carros, enquanto que aqui nos Estados Unidos – principalmente na região de Washington, DC – este mesmo índice cai consistentemente desde 2003, sendo o tipo de crime que vem sido combatido com mais sucesso no país. Esta é uma tendência que vem resistindo até mesmo aos atuais desafios econômicos do país.

Mas como este sucesso tem sido alcançado? Estes são alguns dos principais motivos:

  • Utilização de carros isca: Veículos comuns de propriedade da polícia que são colocados estrategicamente nas ruas, munidos de câmeras e que podem ser comandados remotamente em caso de roubo.
  • Monitoramento de placas: Policiais contam com sistema que escaneia as placas dos carros nas ruas e identifica automaticamente quando a placa está irregular ou é de um carro roubado. É comum ver policiais trafegando em estacionamentos com o equipamento.
  • Multas para quem deixa o carro ligado e desacompanhado: Por incrível que pareça, muitos motoristas deixam os carros ligados e com as portas destravadas enquanto resolvem algo rápido. Esta é uma tradição que facilitava a vida dos ladrões.
  • Regras mais rígidas para documentação dos veículos: Conseguiram fazer com que a emissão de documentos fraudulentos seja uma tarefa quase impossível.
  • Gravaçao do chassis em diversas partes dos automóvel: Dificulta a revenda de peças.
  • Sistemas como o OnStar da Chevrolet: O sistema foi lançado em 1996 e desde 2006 consegue bloquear veículos roubados remotamente assim que o roubo é comunicado.
  • Tecnologia de ignição dos veículos: Fazer uma ligação direta em veículos produzidos depois do ano 2000 é algo praticamente impossível.

É muito mais difícil roubar um carro hoje nos EUA. Um ladrão “pé-de-chinelo” não tem conhecimento suficiente para fazer uma ligação direta. Mesmo que o carro seja roubado, é bem provável que existam sistemas anti-furto instalados que podem ser acionados remotamente. Além disso é muito mais difícil encontrar um destino para um carro roubado por aqui, seja para desmanches – quase inexistentes – ou para “exportação” já que as fronteiras estão bem mais patrulhadas.

Mas na minha modesta opinião, a utilização da mídia (principalmente a televisão) como forma de convencer a população de que “o crime não compensa” é também um fator fundamental para a redução destes índices. Como exemplo, este é um vídeo que ilustra a atividade da polícia e algumas destas tecnologias em Nova Orleans:


Toda essa tecnologia e policiamento faz qualquer um pensar duas vezes antes de roubar um carro nos Estados Unidos. Prova que a tarefa de combater este tipo de crime, apesar de difícil, está longe de ser impossível. Requer investimento, tecnologia e visão de longo prazo.

Facebook Comments